|  |  |  |
 
 
Da Luz e da Sombra  
 
 da vida das marionetas

 

Não cheguei a dizer a palavra que pediste.

O nada que roubámos à cauda de outros passos.

Agora tudo está diferente.

Som algum pontua o chão da noite,

os suspiros há muito deixaram de ser perene abrigo.

Limitei-me a perseguir sombras certeiras,

vozes, afinal, que decidimos abandonar.

Sabes do que falo. E isso bastará.

 

Ricardo Gil Soeiro

da vida das marionetas, edições húmus, 2012

imagem: Aus dem Leben der Marionetten, 1980, Ingmar Bergman


 
design by netsigma 
Site Meter